Chocante
Por José Nilton Dalcim
11 de agosto de 2017 às 00:39

Denis Shapovalov, aquele que esteve a ponto de ser eliminado na estreia por Rogerinho Silva, exagerando na força e na pressa, conseguiu uma verdadeira façanha na noite desta quinta-feira. Diante de sua torcida, o fenômeno canhoto de 18 anos mostrou cabeça fria, capacidade técnica, apuro tático, ousadia e coração para derrubar nada menos que Rafael Nadal, o postulante ao número 1 do ranking.

E olha que o garoto saiu atrás do placar, ainda que fazendo um bom primeiro set. A partir da quebra que obteve no comecinho da segunda parcial, foi ficando cada vez mais atrevido. Além do primeiro saque bem aplicado, usou o forehand para atacar o tempo inteiro. Ainda perdeu um serviço e permitiu empate, porém nem assim saiu de jogo. O terceiro set foi uma gangorra e o tempo todo quem esteve mais acuado foi o adolescente, que salvou seis break points e ganhou um game emocional de 14 minutos. Admirável.

A partir do sexto game, reta final, jogadores cansados e tensão evidente no ar, os serviços imperaram e o tiebreak foi inevitável. Nadal abriu 3-0, parecia natural que a experiência triunfaria. Mas Rafa cometeu dupla falta, permitiu 3-3 e daí em diante só ganhou mais um ponto. Shapovalov fechou a partida com seu 49º winner, o que justifica plenamente seu feito inesperado.

Ao se ver Shapovalov, Alexander Zverev e Nick Kyrgios em ação, dá uma certa tranquilidade quanto ao futuro do tênis. Bom, o australiano precisa tomar uma decisão urgente quanto a seu problema de quadril, porque essa limitação tem sido cruel e nem toda sua notável habilidade será suficiente sem um físico no máximo potencial.

Zverev, por seu lado, mostra-se cada semana mais consistente, mesclando paciência e agressividade com autoridade de um veterano. O garoto alemão repete agora a final de Washington de dias atrás diante de Kevin Anderson. O sul-africano não perdeu sets em Montréal e deu pouca chance a Sam Querrey.

Há uma impensável chance de termos Shapovalov e Zverev na semifinal, uma dádiva para quem espera mais da nova geração. O canadense encara outra surpresa da semana, o também canhoto Adrian Mannarino, que joga com o peso da bola do adversário.

Susto e talento
Roger Federer por seu lado fez sua pior apresentação da temporada, com incríveis 47 erros diante de David Ferrer, alguns deles bisonhos. Mas sua espetacular versatilidade rende dividentes nessas horas difíceis e o suíço pôde apostar nos voleios para obter a virada.

Apesar de sofrer a 17ª derrota, Ferrer merece elogios pela postura tática. Tentou ser agressivo pegando bola na subida e recuando pouco, devolveu bem, forçou paralelas e abriu buracos no lado direito do adversário. Caiu de pé.

Federer não precisará de muitas adaptações diante de Roberto Bautista, que tem um padrão muito parecido ao de Ferrer e perdeu todos os seis confrontos diante do suíço. Para complicar, ainda lutou três horas duríssimas diante de Gael Monfils.

Se mantiver o favoritismo, Federer terá dois improváveis adversários nas semifinais: Diego Schwartzman ou Robin Haase. O baixinho argentino conseguiu outra incrível virada. Perdeu os oito primeiros games antes de iniciar a reação, conseguindo três quebras no set final. O holandês atropelou Grigor Dimitrov no terceiro set e sempre foi perigoso sobre a quadra dura.

Olha a Stephens
Em seu terceiro torneio da temporada – e desde as Olimpíadas do Rio -, Sloane Stephens é a sensação no Premier de Toronto. Depois de tirar Petra Kvitova, passou com sobras por Angelique Kerber sem perder sets. Seu ranking hoje? Incrível 934º lugar. Ex-número 11 e dona de quatro títulos e uma semifinal na Austrália, ficou 11 meses afastada por séria lesão no pé.

Ela enfrenta agora a canhota Lucie Safarova e quem passar fará semifinal contra Karolina Pliskova ou Carol Wozniacki. Na parte inferior, Elina Svitolina atropelou Venus Williams e encara Garbiñe Muguruza, enquanto Simona Halep e Carolina Garcia se cruzam. A romena continua no calcanhar de Pliskova sonhando com o número 1, mas qualquer chance de luta só virá no US Open.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    Onde pode ir Alexander Zverev ? A meu ver, em outra Final de MASTERS 1000. Ainda não dá para o nosso amigo Shapolatov encarar o Alemão . NESTE momento seria uma grande Zebra. ABS!

    Responder
    1. Pieter

      Ele já fez quatro, em sequência, uma das quais ninguém jamais poderia prever nem em um delírio.
      Mas o cansaço será um adversário implacável contra ele, penso eu…

      Responder
  2. Oswaldo E Aranha

    Neste ano, depois do fraco desempenho do Djokovic, muito por contusão, voltei a ter alegria de ver partida de tênis, razão Shapovalov.

    Responder
  3. Sônia

    Dalcim, será que na entrevista o Mannarino dirá que foi sua pior partida rsrsrs ou enaltecerá o jogo do Shapovalov? Aguardando ansiosamente rsrsrsrs. Beijos.

    Responder
  4. Nando

    Não vi o jogo do Rei, mas o importante é q ele ganhou!

    Mestre, vendo as chaves do Federer e do nadal em Cincinnatti, digo q:
    A chave do espanhol tá difícil (por ser numa quadra rápida), o menos complicado em tese pra mim, é o Gasquet na estréia, pois daí pra frente é duro pelas projeções.
    E a chave do Rei tá boa, pode pegar Zverev na semi, mas Cincinnatti costuma ser bom pro Federer.

    Qual a sua opinião?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu tomaria cuidado com o Gasquet numa quadra rápida. Veja o ótimo histórico que ele tem na grama. E obviamente tem o Muller no caminho. Federer deve ir até a semi e tomara que seja contra Zverev, quem sabe uma revanche de Montréal.

      Responder
  5. ' Renato

    Já viram a chave de Cinci? Federer deve ter um jogo difícil na estreia. O baixinho Diego ou o russo Karen K. Mas depois e mais tranquilo até as semis, onde provavelmente ele vai enfrentar o Zverev. E o siri? Pode enfrentar o Muller na terceira rodada. A quadra lá é rápida. Sei não. … rs

    Responder
  6. Maurício Luís *

    Dalcim, vou ousar resumir em uma palavra muito do que você tão bem disse no seu post sobre o Shapovalov: PRODÍGIO. Pra mim, não existe outra palavra melhor para defini-lo.

    Responder
    1. Pieter

      E dos grandes!!!!
      Se continuar evoluindo e não se deslumbrar nem perder o foco, decerto que terá lugar assegurado na elite futura do tênis, ao lado de Zverev, Kyrgios, Thiem & cia.

      Responder
  7. Cynthia - Aracoiaba

    Dalcim, tem outro numero q pode ser atingido pelo Roger este ano. SE ele continuar Nessa toada, ganhando tudo, ele empatará com Djoko e Rafa no número de Masters 1000. Montreal, Cincinnati, Xangai e Paris! Ele tem 26 e OS outros 30, certo???? Parecia impossível, mas, hoje, está Ali, around the corner!!!!! Não lhe parece, tbem?

    Responder
  8. Diego Bezerra

    Olá Dalcim, estive analisando algumas recentes safras de jogadores: Berdich, Tsonga, Monfis, e Del Potro como tbm a safra de Nishikori, Raonic e Cilic, apesar de dois desses terem quebrado a barreira de vencer Slams, infelizmente nunca me convenceram q de fato ameaçariam o big four, exceto Wawrinka q ganhou 3 Slams diferentes. Será q Misha, Kyrious e Thiem podem fazer diferente daqui a dois anos, contando q o Big Four + Wawrinka estejam nas suas melhores formas físicas? Qual seu prognóstico p tal? Obg!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que todos eles são sérios candidatos aos grandes títulos a partir de 2019, quando o Big 4 deve cair de rendimento e eles tiveram maior bagagem. O Zverev já pode entrar na briga em 2018.

      Responder
    2. Jônatas L. de Paiva

      Mas aí já temos 2 gerações de diferença. Só faltava não “quebrar” a barreira do BIG4, PELAMORDEDEUS NÉ? Ou os caras vão jogar até os 70 anos ?

      Responder
  9. Diego Bezerra

    Olá Dalicm, analosandoos jogos de Federer no Canadá, percebi uma enorme tendência em ir rede mesmo sendo uma quadra diganos assim N rápida, será q está sendo um aperetivo do q pode ser no Usopen?

    Responder
  10. O LÓGICO

    Fedex ainda no ritmo MEIA-MOLE-MEIA DURA kkkkkkkkkkk
    Eu chego a desconfiar que ele tá claramente se poupando, e já projetando o USO kkkkk
    Mas isso é conjectura, sendo absolutamente certo que se ele chegar à final as nadalzetes vão pirar kkkkkkkkkkkkkk E isso é muito bom kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O titio Nadal, kkkkkk, deve tá torrando seu cérebro de minhoca e tentando descobrir como perdeu para o debutante de 18 aninhos kkkkkkkkkkk, mesmo sendo a resposta de fácil acesso, até para o aparelho cognitivo de chimpanzés kkkkkkk: seu tênis é de péssima qualidade kkkkkkkkkk

    CHUPA QUE É DE UVA NADALZETES KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
    1. Sônia

      “O titio Nadal, kkkkkk, deve tá torrando seu cérebro de minhoca e tentando descobrir como perdeu para o debutante de 18 aninhos kkkkkkkkkkk, mesmo sendo a resposta de fácil acesso, até para o aparelho cognitivo de chimpanzés kkkkkkk: seu tênis é de péssima qualidade kkkkkkkkkk”. Rsrsrsrsrsrs, show show show show, rsrsrsrsrsrsrsrs.

      Esse titio tem sérios problemas cognitivos rsrs quando enfrenta jogadores que não conhece o estilo de jogo. Como é extremamente limitado, precisa de um certo tempinho para se “programar” rsrsrs. Contra o Shapo, não deu certo e só levou “shapoletadas” (adooooooorei Janaína rsrsrs). Beijos.

      Responder
  11. Renato

    Em Wimbledon e na temporada inteira, Federer estava jogando com um % de primeiro serviço entre 60% e 70%. Em Montreal, nos três jogos ele sacou com um % na casa dos 50/55, fora as devoluções que estão muito abaixo e o backhand que está longe de ser o que foi no primeiro trimestre. É o suficiente pra vencer 99% dos tenistas. De qualquer forma, acredito que ele vai evoluir ainda no Canadá, melhorar muito em Cincinnati e chegar ao auge no U.S Open.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Não sei a quanto tempo o amigo acompanha o Esporte. Mas não e’ assim que a banda toca para alguém aos 36. Hoje foi a rede 28 vezes em dois Sets, para compensar o Back que teima em não entrar. Com isso mostrou um melhor jogo de pernas. O nível do AOPEN pode não ser atingido novamente. Não esta’ mais no seu Auge. Ninguém jogou como ELE na mesma idade. Nem Rod Laver numa época em que o físico ainda não era tão dominante. Dificilmente Andy , Novak ou Rafa estarão na ativa nesta idade. Temos mais e’ que curtir os lampejos do Craque Suíço . Abs!

      Responder
      1. João Luiz

        Não sei a quanto tempo o amigo acompanha o Esporte. Mas se alguém falasse, ao final de 2016, que Federer ganharia 2 GS em 2017 e ainda lutaria pelo nº1, ninguém acreditaria.
        Federer não precisa jogar no nível AO/17 para vencer torneios. Basta ver o que aconteceu na grama.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Não sei a quanto tempo o amigo acompanha o Esporte, mas já ouviu falar no Rei da Grama ? Vou dar uma dica . O Velhino e’ Suíço e Eneacampeão de Halle e Octacampeão de Wimbledon. Tá bom pra você rsrsrs ABS !

          Responder
          1. João Luiz

            Não sei a quanto tempo o amigo acompanha o Esporte. Mas o último GS do GOAT veio em um momento em que ele não jogava seu melhor tênis na temporada. E mesmo assim foi campeão com sobra.
            Portanto, respondendo seu comentário, ele não precisa jogar seu melhor tênis da temporada para ser campeão no US Open, e pode sim ainda evoluir, tendo em vista​o que fez de 2016 para 2017.
            De mãe Dinah fracassada o mundo do tênis está cheio.
            Kkkkkk
            Abraço

      2. Pieter

        E não é que é verdade mesmo?
        Por isso, não penso que o maior favoritismo para o US Open seja todo do Federer, há outros candidatos também e até a possibilidade de uma grande zebra…

        Responder
  12. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    já vi o Federer falando depois da vitória sobre o Ferrer que ele achou a quadra bem rápida. Hoje na transmissão do SporTV falou que a quadra era rápida e o Federer estava fazendo o certo em ir com frequência a rede.
    Será q Federer está jogando seguidamente a tarde, justamente por nesse período a quadra ser de fato um pouco mais rápida do que a noite. Tipo houve um pedido dele para jogar no período da tarde. O q acha Dalcim?

    Responder
  13. Luis

    Dalcim Vitoria tranquila do Federer tem grande chance de mais 1 final em 2017 rs,chutei contra o Zverev se nao desse outro Federer x Nadal ,Go Federer e’ insubstituivel esse suico rs

    Responder
  14. Sônia

    Dalcim, uma partida administrada com inteligência, sem detonar o físico, pois esse Angu é chatinho. Percebemos um Federer não muito focado, às vezes displicente, mas com a certeza de vitória no final rsrsrs. Esse é o meu Lindinho rsrsrs. Uau, uau, uau, mais uma semifinal, só TU MAESTRO, só TU. Gooooo Federer! Sempre juntos. Beijos.

    Responder
    1. O LÓGICO

      KKKKKKKKK Soninha se ele chegar à final, já vou comemorar na The History kkkkkk
      É nóises kkkkkkkk, nunca serão, nadalzetes da sofrência kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
  15. Thiago Prada

    Sobre o jogo do Nadal: sei lá o que aconteceu! (Que bom!)
    Sobre o jogo do Federer: sei lá o que está acontecendo com ele nesse torneio! (O que importa é continuar ganhando)

    Responder
  16. Rafael Wüthrich

    Meu bom Dalcim, mais uma vez me rendo à sua máxima de que “no tênis, cada dia é um dia”.

    Primeiro, vi Federer jogar sua pior partida no ano, cometer trocentos erros (discordo de Narck Rodrigues quando ele afirma que o problema foi no backhand: até o forehand e o próprio saques estiveram oscilando monstruosamente) e sofrer contra um ressucitado Ferrer, se salvando com seus voleios mágicos. Qualquer pessoa que acompanha o dia a dia do circuito cravaria uma vitória tranquila do melhor tenista do ano com sobras contra um ex-top 10 que até challengers andou jogando e vem numa descendente fazem 3 anos.

    Há que se ressaltar Ferrer. Jogou uma das melhores partidas dele, se não a melhor, nos últimos 2 anos. Usou paralelas, não se conformou em ficar na base e invadiu a quadra. Atacou os 2 lados do suíço e fugiu totalmente de suas características para encurtar os pontos e pressionar Federer. Surpreendeu o suíço e poderia ter vencido, não fosse a clara mudança tática que Federer se impôs após estar apanhando do fundo de quadra. Por isso, há que se louvar o que Federer conseguiu: ganhar jogando mal. Após tomar 1×4, o suíço saiu do fundo e optou subir sempre que possível. Uma mudança tática que poucos tenistas tem capacidade de fazer. Foi o que lhe tirou do sufoco absurdo em que estava. Ainda passou maus bocados com a instabilidade de seus golpes de base, mas se safou com uma melhora do saque e com seus voleios mágicos. Curioso é que, mesmo com duas quebras, o próprio 3o set esteve longe de tranquilo. Mas segue no torneio.

    Após, o que foi realmente chocante: depois de um set dominado, em que não sofreu riscos apesar de uma boa partida do garoto Shapovalov, Nadal foi caindo de produção, saiu com 0x2, passou a sofrer a cada game e perder chances. Ainda voltou no set, mas tomou uma quebra imperdoável sacando em 4×5. Daí em diante, foi um festival de chances perdidas, erros não forçados e um show de capacidade técnica e mental do canadense, que fez um dos sets mais espetaculares dos últimos tempos. Achei inadmissível o nível de erros de Rafa. Se você criticou, com total razão, os 47 erros do suíço contra Ferrer, achei inadmissível para um tenista que comete pouquíssimos erros como Rafa, ainda mais contra o cento e pouco do ranking, ter cometido mais de 35 erros não forçados. Isso tendo tido pouco mais de 10 winners. Pagou o preço com essa derrota. O que você achou?

    Por fim, Nick Kyrgios joga pra cascalho. Sem se movimentar direito, conseguiu engrossar um jogo contra Zverev que estava em plena forma. O alemão se safou com seus golpes de base espetaculares, mas impressiona os recursos do australiano. Basicamente só andando em quadra, não podendo correr muito e se abaixar, tirou bolas mágicas, sacou muito e endureceu um jogo em que em condições normais poderia ter atropelado o alemão. Que jogador. E mais: gostei da cabeça. Não reclamou, se esforçou ao máximo que estava ao alcance e pareceu aproveitar os momentos em quadra, até sorrindo e estando relaxado, mesmo diante da evidente limitação. Podemos ter esperança, meu Guru?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, foi um jogo bem fora dos padrões para Nadal. Ele não cedeu um único break point e teve seis chances de quebra no terceiro set, a maioria delas salva com coragem pelo canadense. Não acho que Rafa poderia ter feito algo muito diferente. Ele errou bastante porque tentou forçar o jogo também, e é justamente isso que cobramos dele. Teve o tiebreak dominado até a dupla falta e ali pareceu perder a confiança. Quanto ao Kyrgios, é um espetáculo. Mas agora, além da cabeça sempre perigosamente no limite, ainda está com problema de quadril que parece grave. Acho que ele deveria considerar também uma parada até 2018.

      Responder
      1. Rafael Wüthrich

        Verdade. Outro (assim como inexplicavelmente Andy Murray) que insiste em esticar uma temporada perdida e que deveria priorizar a recuperação física. Aliás, a desistência de Cilic de Cincinnati hoje indica outro top com sérios problemas físicos que precisam de tratamento. Dalcim, daqui a pouco até Rogerinho vira cabeça de chave no US Open…

        Responder
      2. Roberto Rocha

        Perdão pela ousadia de discordar do Mestre…mas Nadal podia fazer mais, sim.
        Pra começar, parar de receber saques depois de Saturno…só faltou subir na arquibancada!!!! Foi a mesma postura que o levou à derrota em Wimbledom, onde também teve 500 chances de quebrar o adversário mas por conta da sua tática de recepção equivocada, sempre devolvia curto e levava bordoada…e isso se repetiu contra o garoto ontem.
        Outra coisa foi a covardia…apenas 1 dezena de winners???? Apostou na defesa para vencer e pagou o preço.
        Também abdicou do backhand na paralela. Se não estou enganado, não usou essa bola nem 1 vez!!!!!
        Covardia e pouca inteligência tática. Porque não é possível que sem conseguir devolver 1 único saque de maneira decente, não mudasse algo na recepção. Quase 5 horas levando bordoada em Londres…mais de 2 horas e meia levando bordoada ontem…e o cara continua devolvendo do mesmo jeito!!!!
        Será possível que não tenha plano B para a recepção?
        Gostaria de saber se você concorda com alguma parte da minha análise, Mestre Dalcim!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Bater backhand na paralela seria equivocado, Roberto, porque você iria para o ponto mais forte e de confiança do adversário. Também não acho que Nadal não tenha tentado forçar. Ao contrário, cometeu vários erros não forçados por justamente tentar aprofundar a bola. Sem dúvida, afastar da linha é uma tática pouco recomendada contra um adversário que saca com tanto ângulo, mas ainda assim ele foi o único a ter break points no terceiro set.

          Responder
        2. Jônatas L. de Paiva

          Eu falei por aqui que eu não vi absolutamente NADA DE EVOLUÇÃO técnica e tática do Nadal. NADA. ZERO. Se a bola dele fica mais curta ou não está num dia bom olha no que dá.

          Responder
    2. Cynthia - Aracoiaba

      Rafael, muitos nests blog já falaram sobre o Narck torcer pro Nadal! Como comentarista, não deveríamos perceber isso facilmente! Cade o professionalismo? Mas, OK, niguém é perfeito. Mas, ontem, naquele jogo horrível do Roger, lá pelas tantas ele Fez uma Linda passada no Ferrer, o q disse esse tal de Narck????? Q sorte do Federer!!!!!!!, Sorte???? O Goat???? Me poupe!!!! Tens outra opção? Nem EU!!!! Aguentar EU preciso!!!

      Responder
  17. Renato

    Por enquanto, Federer quase a mesma m… de ontem. Onde estão aquelas devoluções que acabaram com Raonic, Berdych e Misha em Wimbledon? Como pode cair tanto? A noite a torcida é total para Shapavolov e Zverev.

    Responder
    1. Jônatas L. de Paiva

      Sem puxar o saco do Federer. Ele começou EXATAMENTE DESTE JEITO nos torneios que anteciparam GS. Perdeu na copa Hopman, Dubai, Stuttgart. Depois começou o atropelo no AO, Indian Wells, Miami, Halle e Wimbledon. Parece que está pegando ritmo.

      Responder
  18. Renato

    Nadal, com sua “humildade” de sempre, disse que fez sua pior partida no ano, apenas para diminuir a Vitória do oponente e pra deixar claro que, quando ele joga seu melhor, é imbatível.

    Responder
  19. Julio Calleja

    Na questão tatica, alem de ser agressivo o tempo todo, o canhoto Shapovalov usou e abusou do saque aberto. Acredito que ele e sua equipe viram o o estrago que o Muller fez em Wimbledon com esse saque….

    Responder
  20. Julio Calleja

    Depois ontem, o menino Shapovalov tende a ser mais popular que Justin Trudeau nas terras canadenses. Que bacana saber que o futuro do tenis provavelmente esta garantido. Essa nextgen traz algo que destoa das previsões e do que se mostrava no circuito nos ultima década, o tão temido “maratenis”. Como ressaltou o mestre Dalcin, são jogadores agressivos, talentosos, ousados e carismáticos. Aquele negocio de ficar passando bolinha e correndo atras dela, não esta na alma desses moleques. Nisso a popularidade do Federer de certa forma, faz um bem danado ao tenis, pois vendo a declarações de Shapovalov, Zverev, Kyrgios, Thiem fica bem claro quem é a referencia tenística deles…

    Responder
    1. Daniel

      Felizmente não falta muito para nos livrarmos dos dois maiores expoentes do maratenis, uma vez que ambos já viraram trintões. E pelo jeito, a nova safra de talentos não se espelha neles, trazendo para quadra um estilo de tênis muito mais interessante e muito menos tedioso. Agora só resta torcer para que essa gurizada evite novas tragédias dessa dupla nos grandes palcos nos próximos anos. Já basta os estragos feitos, não só nas quadras, onde bateram adversários superiores na base do esgotamento físico e mental, como também nas marcas de conquistas estabelecidas, ofuscando de certa forma as marcas de algumas lendas do passado.

      Responder
    2. Victor Martins

      Na mosca Júlio. Eu também temia por isso. Deixaram as quadras mais lentas pra vê se isso se concretizaria. Mas que bom que a nova geração tem um estilo mais vistoso.
      E mais uma vez a lenda Suíça deixando sua sementinha pro futuro. Vida longa ao Rei.
      Espero ter uma segunda feira felizzzzzz, com mais um título do Rei Roger, igualando Ivan Lendl.

      Responder
  21. periferia

    Olá Dalcim….acompanhando os novos tenistas vejo uma geração além de talentosa…..super agressiva….buscando bolas vencedoras…..sempre se compara Federer e Nadal….talves a maior vitória do Federer sobre o Nadal seja á forma de como o “jogo” deve ser jogado?……uma geração espelhada em um jogo baseado na defesa seria ruim para o esporte?…….

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não acho uma questão de bom ou ruim. O problema é que, no tênis de hoje, você forjar um tenista sem padrão agressivo é um risco enorme de pouco sucesso. Porque o circuito está lento e os adversários, rápidos. Se houver a limitação da troca de bolas, precisará de um tenista muito forte fisicamente para suportar todo esse ritmo. Então você vê que o padrão hoje é um saque forçado, ataque de segunda bola, transição para a rede o mais rápido possível.

      Responder
  22. Renato

    Temo que Shapovalov seja um tenista caseiro. Tem título de challenger e uma semi-final em solo canadense. Fora de casa não tem campanhas expressivas. O que tem ajidado muito o canandense é a “energia da torcida “. Vamos ver se ele emabala e faz um bom u.s open. Melhor ainda se cair do lado da chave do siri-careca. Kkk

    Responder
  23. Renan Cesar Singer

    Só corrigindo sobre o Premier de Toronto: A Stephens ganhou da Putintseva na primeira rodada, e quem ganhou da Carla Suárez Navarro foi a Kvitova. Mesmo assim ela está surpreendendo.
    E sobre o Shapovalov, foi exatamente a coragem que permitiu essa vitória. Incrível como ele não se intimidou, inclusive nas subidas à rede em que ele levou diversas passadas, porém não parou de subir para continuar sendo agressivo. Só aplausos.

    Responder
  24. O LÓGICO

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    A desculpa do embromador do tênis é a idade kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “É mais fácil controlar seus nervos quando se tem 18 anos do que quando se tem 30. Ele é um bom jogador, pode ter uma boa carreira, tem grande determinação nos pontos chave. Ele não tinha nada a perder”. (UNIDIMENSIONAL DO TÊNIS) KKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Nossa!

      Que PIADA o Nadal afirmar isto.

      Muito pelo contrário.

      Quanto mais velho, mais experiente.

      E portanto, mais fácil de controlar seus nervos do que quando se é jovem.

      Além de bundão, embromador…

      Responder
    2. Jônatas L. de Paiva

      Se ele falou isso é lamentável. Discordo totalmente. Quem segura mais os nervos são os mais experientes pois já passaram por esse tipo de situação mais vezes. Aí ficou feio.

      Responder
  25. Rafael Brasiliense

    Tem jogo que o Federer entra em quadra com a cabeça na lua. São as famosas viajadas do suíço, já vistas algumas vezes esse ano. Ontem o jogo dele foi terrível – tão terrível que até ele se irritou, batendo bolinhas para o alto com raiva depois de cometer um erro, e depois sair chiando, algo raro de se ver. Só ganhou mesmo porque o Federer.. bem, é o Federer.

    Quanto ao jogo que justifica o título do post, Rogerinho, meu compatriota; Del Potro, meu vizinho hermano:: ainda bem que você perderam. Qualquer um dos dois seriam atropelados pelo Nadal, algo parecido com que aconteceu com, olhe só!, esse mesmo Nadal diante do Shapovalov ontem, que deu um show. E o mais impressionante foi que Rafa venceu o primeiro set. Como um garoto de 18 anos que sequer era nascido quando Nadal começou a disputar torneios de tênis poderia vencê-lo depois de começar perdendo? Difícil acreditar, mas ele o fez. E o pior foi que no tiebreak do set decisivo a vitória do Nadal parecia certa. Depois que o cabeça 1 abriu a vantagem com um mini-break então.. o resultado parecia óbvio. Eu já estava até pensando se o garoto não iria levar um 7×0 no lombo. Eis que o pirralho quebra por 3 vezes seguidas o saque do dono de RG e leva o jogo.

    A cara do Nadal ao final do jogo fez jus a sua vergonhosa apresentação.

    A vida é um verdadeiro boomerang. http://bolamarela.pt/fora-de-linhas/vitoria-nadal-shapovalov-torna-jovem-bater-um-top-2-desde-proprio-nadal-2004/

    Responder
      1. Rafael Brasiliense

        Não, xará. Se irritar – o que acontece com todo mundo – é diferente de dar chilique. Dar chilique é sair xingando em voz alta, quebrar raquete, ficar reclamando para os outros, brigar com o juiz ou com o adversário e coisas do tipo. O Federer não fez nada disso.

        Responder
  26. Marquinhos

    Nadal é amigo da garotada……………..dá e …………………… Shapavolov, Kyrgios, Thiem, Coric….a lista só cresce. kkkkkkkkkkkkkkkk Sétima derrota do baloeiro. Perdeu TRÊS pra Federer, Querry, Thiem, Gulbis e Shapovalov…. Sete derrotas! Enquanto issso, o mestre, MAIOR E MELHOR DISPARADO DA HISTÓRIA, perdeu apenas duas.

    É engraçado. Shapovalov, magrinho, filé de borboleta, meninão, saca por muitas vezes acima dos 210 km. Enquanto isso, o “touro”, bombado, físico de halterofilista, raramente saca a mais de 200 km. Estranho, né?

    Responder
  27. Marquinhos

    Não tenho participado muito do blog mas não poderia perder a oportunidade de tirar uma onda com as frangonetes e o frango-miura.

    Como os caras estão sofrendo! kkkkkkkkkkkkkkkkk Tinha gente sonhando com o número 1. Depois de Cincci será de Roger Federer o posto de líder do ranking. Na verdade, já é, pois o melhor tenista da temporada indiscutivelmente é o suiço.

    Se Federer não vencer em Montreal, tudo bem! Ficarei satisfeito se Shapovalov ou Zverev vencerem o torneio.

    Márcio Souza, muito obrigado pelo convite para participar do grupo do zap. Em breve estarei por lá.

    Abraço a todos

    Responder
  28. André Barcellos

    Incrivelmente, acho que o Nadal jogou melhor que o Fed, mas acabou perdendo!!!
    O torneio está nas mãos do suíço, mas ele não pode mais ter dias como onte!. Aliás, fiquei preocupado com a perebice do suíço ontem.
    O que será que houve, Dalcim? Um mau dia? Problema fora da quadra? Falta de ritmo? Algum problema fisico?
    A desculpa da quadra rápida não cola pra ele…

    Responder
          1. André Barcellos

            De fato. É que Federer deixou todo mundo mal acostumado.
            Criou um padrão de expectativa de show a cada vez que entra em quadra.
            É como neste ano está mais pragmático, talvez vença partidas que poderia perder em outros.
            Antes era teimoso até a consequência final . Tipo “Ou dar show ou perder”…

  29. Lucas Rodrigues

    Não me lembro qual foi a última vez que Federer enferentou 3 sessões diurnas seguidas num verão da América do Norte. Parece que ele não goza de tanto prestígio com os organizadores de Montreal, apesar de que os jogos dele não tiveram também tanto apelo, falando dos adversários.

    Mas por exemplo, Zverev fecha a rodada noturna hoje contra o Anderson. Seria bem plausível que o jogo que encerrasse essa rodada fosse Federer x Bautista, o suíço tem sempre ótimas atuações contra ele.

    Responder
  30. JANAINA M DIAS

    É Nadal…sem a juventude e as pernas de antigamente (lesão no joelho) restou receber o saque adversário a 2 mil metros da rede e rezar pelo erro do canadense.. E sim, a confiança e a garra de antes também não estavam mais com ele.. Mesmo sabendo que o espanhol é tecnicamente mais limitado, me espantei ao comparar a performance de ontem com a do Australian Open 17, frente ao Federer..
    Ontem, pra mim, a pior performance da carreira dele..

    Responder
  31. O JR7

    É algo curioso mesmo: quando o suíço está sem muita confiança ele mete a cara na rede e ali tenta se virar… o espanhol faz justamente o contrário, ficando a metros da base. Comportamentos inversos, resultados muitas vezes igualmente distintos..

    Responder
  32. Miguel BsB

    Assisti ao compacto da partida, e o garoto jogou agressivo demais, que legal! Jogou pro td ou nada, por ser totalmente a zebra contra uma lenda do esporte. Isso surtiu efeito, e, principalmente, acuou o Nadal, o pressionou mentalmente e taticamente , fazendo com que ficasse defensivo demais e “encurtando o braço”, sobrando bolas curtas de meio para serem finalizadas, a diferença gritante em winners é a prova disso.
    Como disse o Dalcim, ele precisa melhorar o jg de rede dele. Não voleia tão bem, e, principalmente, não se coloca tão bem na transição, e tomou várias passadas por esse motivo, além de erros de voleio. Um jogador agressivo como ele tem que saber subir a rede e definir a maioria dos pontos. Acho que naturalmente vai aprimorar esse quesito e ser um dos talentos da nextgen.
    Vida longa ao backhand de uma mão! Por isso, sou mais fã do Thiem do que do Zverev, apesar de achar que o alemão vai ganhar mais ao longo da carreira. Shapovalov tb ganhou a minha torcida.

    Responder
  33. Luiz Augusto Totti

    O fato de não ter um tenista de estimação me da o direito de gostar de quase todos os estilos, valorizando a diversidade dos jogadores. Assim, gosto de assistir ao Top 3, Federer, Djoko e Nadal, que (quase) sempre dão espetáculo. Para meu gosto, os backhands de uma mão só são mais plásticos e bonitos de se ver na TV, bem como acho que tenistas canhotos parecem trazer mais desafios. Por isso, achei o jogo do moleque fantástico. Espero que mantenha a cabeça no lugar (que a bolada no olho do juiz na Davis tenha sido lição aprendida)

    Quanto ao jogo de ontem, se o Nadal usasse a camiseta vermelha do Shapovalov a qualquer momento iria trocar de lugar com o juiz de linha… teve um momento que fiquei com a sensação de que ele estava para trás do juiz. Pena, gostaria muito de ver Nadal e Federer na final… Outro fator foi a múltipla identidade do adolescente – ele é Russo, nascido em Israel, cresceu no Canadá e vive nas Bahamas. Nadal, penso eu, se confundiu um pouco, nunca sabia quem estava do outro lado. Acho que vai longe esse garoto.

    Dalcim, duas curiosidades nas duplas: o que houve com nossos duplistas no Canadá? Porque o Marcelo;Kubot mesmo sendo os primeiros em tudo foram cabeça 2?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não vi as partidas, mas acredito que a velocidade menor do piso possa ter influenciado nos dois casos. Os cabeças são determinados pela soma dos rankings de cada tenista. Neste caso, há empate entre os dois (ambos somam 5) e aí vale o primeiro critério de desempate, que é quem jogou menor número de torneios. Abs!

      Responder
  34. Paulo F.

    Obrigado pelos serviços prestados ao tênis, Shapovalov!
    Atrasou que o anti-tênis voltasse ao primeiro posto!
    (polegares para cima dos ícones do Sistema Anndroid)

    Responder
  35. Marcos Castillo

    Dalcim, duas perguntas:
    – Nadal pode estar sentindo pressão por resultados fora do saibro?
    – Vc viu o comentário do Federer sobre a quadra estar muito rápida, diferentemente de tudo que vem sendo falado por todos até agora? O que achou?
    Abs!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, acho que a pressão de ontem veio no decorrer da partida. Porque a afinal ele foi muito bem no primeiro set. Vi sim a declaração do Federer e vai contra tudo o que se disse e se viu até agora. Mas ele só jogou de dia, talvez mude de opinião se jogar à noite.

      Responder
      1. William

        Vi o jogo do Nadal ontem, e ou o rapaz saca demais e bate absurdamente forte na bola ou a quadra estava rápida sim, era nítido como a bola viajava rápida, mas pode ser em função da bola tbm ao invés do piso, ainda sim, dizer que estava tão lenta quanto Miami acho difícil

        Responder
      2. Pieter

        Dalcim, o Nadal declarou que jogou “muito mal” ontem. Você concorda?
        Eu não penso que tenha sido tão ruim assim, mas certamente foi surpreendido pelo canadense que fez o jogo da sua vida até agora…

        Responder
      3. fepauli

        Vai ver é por isso que a organização está colocando o mestre para jogar à tarde. Achávamos que ele estava sendo preterido mas é o contrário.

        Responder
      4. Julio Calleja

        Exato Dalcin.. Essa impressão do Federer é mediante ao fato dele so ter jogado e treinado de dia, em que claramente é mais rápido o jogo.

        Responder
  36. Luis

    Dalcim uma grande surpresa o Shapovalov perguntei no outro texto se tinha pequena chance acho que andou lendo blog rs,atitude de tentar a Vitoria mesmo como disse Eusebio um dos maiores da historia do outro lado,no comeco da partida passou entrevista do Federer comentando esses gsrotos e do Nadal e o Shapovalov lembrou que o Suico disse nao iam muito a rede essa geracao rs,parece legal o garoto Canadente e legal ser um Canhoto rs,Eu seria Canhoto se entrasse pro tenis mas dificil ter essa vontade do canadense rs,ja deve chegar parece ao Top 100 o Shapo? rs e Go Federer sem Nadal da pro titulo ainda mais rs

    Responder
  37. Tom

    Dalcim, o que mais me chamou a atenção nesse garoto foi a personalidade dele. O moleque, simplesmente, MONTA na bola sem dó. Com os ajustes técnicos e táticos que virão com o tempo, dá pra esperar que seja um dos grandes no futuro.

    Responder
  38. João

    Não sei porque desmerecer Rafael NADAL, como se jogar no saibro, fosse desmerecimento, ao melhor tenista de saibro da história, mas como já fui aqui certificado, um excelente jogador, mas com várias limitações em quadra rápida, wimbledon que o diga, apesar de no passado ter vencido na grama

    Responder
    1. Abelha

      Excelente observação, Willian. O domínio do Nadal no saibro é tão absurdo que fora dele fica parecendo que o cara é fraco… Mas não passa de relatividade… Tirando o GOAT, o Nadal foi o único outro jogador que, fora do saibro, chegou a pelo menos duas finais de GS e/ou M1000. O cara é um monstro. Como Federista, acho muito mais interessante (além de sensato) reconhecer a grandeza do Nadal fora do saibro, porque isso só valoriza os feitos do Federer…

      Responder
  39. Henrique

    E o Murray ainda vai aparecer segunda na ponta do Ranking. Será que ele contratou algum pai de santo? Péssimas partidas do Federer e do Nadal. Suíço ainda se virou. Sequencia do Tour na América do Norte vai ser interessante…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Pai de Santo e’ Ótima kkkkkkkkk Mas não é que o Pior N 1 do Mundo acabou completando 40 Semanas no TOPO. Acima de Becker , Wilander, Rafter e Cia… ABS!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. Empatado rigorosamente em 40 com o grande Ilie Nastase. O Primeiro N 1 da Era Profissional numa Época que tínhamos , Connors , Vilas e BORG. Abs !

        Responder
  40. Luiz Fernando

    Passada um pouco da raiva matinal, não como não valorizar a vitória do Shapovalov. O rapaz jogou de igual p igual com um monstro sagrado do tenis, que vinha em excelente fase, com uma agressividade incrível, acuando o Nadal em vários momentos. Isso depois de perder o primeiro set, momento no qual muitos desabam. Se atentarmos que ele tem 18 anos, sem dúvida tem uma perspectiva das melhores, pois mostra excelente cabeça. A despeito disso, nesse lado da chave Zverev deve levar.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Igualdade só existiu no placar dos sets.

      Dentro da quadra, foi uma surra de CHIBATA. 49 winners contra 18.

      E menos, né?

      “Monstro sagrado do tênis” foi de doer…

      Responder
  41. Mário Fagundes

    Federer mostrou, mais uma vez nesta temporada, a grande fase que atravessa. Muito errático por quase toda a partida, ainda assim encontrou meios de vencer o mais que esforçado Ferrer. Ao meu ver, vitória de Federer no plano tático. Em outros tempos, a teimosia o faria perder jogos como o de ontem. Federer insistiu nas cruzadinhas baixas, colhendo erros do espanhol. E quando percebeu que o jogo de fundo não estava bom, passou a subir mais à rede. Este é o melhor Federer de todos, sem dúvida. Hoje o suíço sabe jogar taticamente, não hesita em mudar o plano tático quando é preciso. Com a queda precoce de Nadal, o retorno ao número 1 é questão de dias.

    Responder
  42. Cleutonfs

    Dalcim, você considera esta derrota a mais surpreendente da carreira do Nadal? Ou a derrota para Soderling em Roland Garros foi mais surpreendente? Considerando que Sordeling já era um jogador tarimbado e também especialista no saibro .

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Difícil responder isso rapidamente, porque houve algumas derrotas bem improváveis, mas Soderling certamente conseguiu um feito único.

      Responder
    2. Rafael Brasiliense

      A mais improvável sem dúvida foi aquela diante do Fognini na terceira rodada do US Open 2015. Até então, em GS, Nadal havia vencido todos os (algo próximo dos 170, acho) jogos nos quais ele venceu os dois primeiros sets. Já nesse jogo, ele abriu 2 sets de vantagem e inacreditavelmente cedeu a virada para um cara cujo mental inexiste.

      Responder
  43. Mário Fagundes

    E Nadal levou incríveis 49 “shapovalovadas” ontem. rsrsrsrs. Por pouco, o espanhol “cabeleira” não tropeçou nos juízes de linha do fundo de quadra. Que joguinho horroroso desse cara! Bacana mesmo é ver que a nova geração promete manter o tênis em evidência. Tomara! Bacana ver um garoto carismático despontando no circuito com um jogo agressivo e contagiante. Se o canadense evoluir no jogo de rede poderá ser um candidato a lutar com Zverev e Thiem pelos grandes títulos num futuro próximo. E Nadal perdeu a chance de ser número 1. De agora em diante, esse objetivo não mais depende somente dele. Chorem, nadalzetes! rsrsrs

    Responder
  44. José Viana

    2 Pontos:
    1) O Ferrer mostrou uma maneira de bater o grande Federer… Fez o Fedex se movimentar muito, mudando muito a direção da bolinha e quando o Federer tem que correr muito parece que ele não se sente tão confortável e erra muito. Procede Dalcim??
    2) Que JOGAÇO!!! Que moleque atrevido!!! MONSTRO!!! Bateu tudo o que via na frente e acertou demais!!!! Achei que o Nadal percebeu o grande dia do moleque e ficou inseguro, encurtou a bola e não foi pra porrada com ele, esperou o menino errar… Achei também que faltou leitura de jogo pro Nadal (logo ele que é tão bom nisso). Uns slices baixos poderiam quebrar o ritmo do moleque.
    Mas, ontem Shapovalov fez o tenis sorrir com seu futuro!!!! Brilhante!!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Federer não achou o tempo da bola na maior parte do tempo. Chegou até a exagerar na forçada de golpes, tentando achar o ritmo, mas passou a maior parte do jogo frustrado. Ferrer acertou em pegar a bola na subida e evitar tantas bolas cruzadas, a meu ver.

      Responder
      1. Renatinho

        Só que Federer também consegue jogar bem ,mesmo diante de bolas profundas que fazem ele se movimentar muito(vide o AO 17).Ocorre que o Federer jogou abaixo do seu melhor.De toda forma, vale destacar que com a idade avançada que ele tem quanto menos partidas intensas ele tiver menor será o prejuízo à sua parte física.

        Responder
  45. Ernesto

    E engraçado que insistem em não assumir que Federer eh o franco favorito nesse segundo semestre , que privilegia quadras duras… eh algo tão óbvio que fico impressionado…

    Responder
  46. Thiago

    Dalcim o titulo do texto diz tudo “chocante” vi o jogo esse garoto é muito corajoso, não se intimidou diante do Nadal nem no tie break que achei que ele ia sucumbir, jogou um tênis absurdo de encher os olhos , garoto tem muito potencial bom para o nosso esporte que venha novos jogadores embora minha torcida era do Nadal acho que foi uma das poucas vezes que vi o Nadal perder e não fiquei chateado tamanha alegria de ver um jovem jogar daquele jeito em alguns momentos lembrei do Hewitt bem novinho e até mesmo daquele Nadal de 2005 jovens aguerridos sem medo dos gigantes. minha torcida nesse torneio agora é do Canadense.
    Agora quanto ao nº 1 acho que o Nadal perdeu sua maior chance, agora pra mim ele só assume se ganhar Cincinati caso contrario Federer será lider depois de Cincinati.

    Responder
  47. Cynthia - Aracoiaba

    Bom dia! dalcim, não jogo tênis sou viciada em assistir! Leio muito OS q entendem e aprendi umas cositas, rsrs O Nadal sempre primou, entre outros quesitos, por não abandonar seu plano de jogo. O Moya disse o qto ele viria mais forte nas quadras duras, esteve bem mais agressivo no primeiro jogo. Agora, diga-me, tão forte mentalmente, tão comprometido com a tática, como pode ele ter simplesmente jogado como há um, dois anos, qdo apanhou de todo mundo? No Colo do juiz, bolas curtíssimas!! Até o final, ele não tentou mudar Nada! Como não jogo FICA ainda mais difícil entender. Obrigada

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quando se perde a confiança, a tendência é você ir para seu plano tático mais confortável. No caso do Nadal, sempre é recuar e tentar manter a bola em jogo.

      Responder
  48. carlos

    dalcim, eu li em duas oportunidades, federer comentando que a quadra estava rápida. assisti ao jogo ontem a partir do terceiro set e não tive esta impressão, mas da tv pode ser diferente. o que vc achou?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Difícil dizer só vendo pela TV, mas a quadra parece sim um tanto lenta, mas nada que seja diferente do circuito em geral. Ainda assim, Federer ganhou o jogo na rede e Shapovalov fez 49 winners.

      Responder
    2. Pieter

      Isso também me intrigou. Federer afirmou que a quadra está rápida após o jogo com o Ferrer. Logo ele que adora um piso mais veloz… E aí? Quem tem razão?

      Responder
  49. Alexandre

    Realmente é difícil pensar que o Nadal conseguirá ganhar títulos importantes fora do saibro, está muito claro essa realidade. Assim como também está claro que na próxima semana teremos Federer de volta ao número 1.

    Responder
  50. Fabio F

    Diferentemente de Roger, que fez uma apresentação bisonha (visivelmente tenso e irritadiço, algo aconteceu nos bastidores), Rafa não jogou mal. A despeito da agressividade e ousadia do canadense, o espanhol pareceu ter o controle da partida até o começo do segundo set. Após ser quebrado, as ações se equilibraram mais, ainda que Rafa ainda desse a impressão de que venceria impondo sua experiência.
    O tie break foi emblemático. Fica demonstrado pela enésima vez que o segredo para vencer Nadal reside num bom saque, postura agressiva e nas variações com paralelas e slices usados com inteligência.
    Após a apresentação sofrível de Federer e considerando o bom momento, a frieza e eficácia de Zverev, aposto no alemão para o caneco de Montreal. De todo modo, a briga pelo número 1 ficou para Cincinatti, agora com dois postulantes de peso. Tudo que os fãs do esporte poderiam esperar!

    Responder
    1. Pieter

      Você talvez tenha esquecido de mencionar que o Zverev, se chegar à final em Montreal, e parece-me que ele é o favorito para tal, após a queda inesperada do Nadal, dependendo dos seus jogos mas quartas e semifinal, estará bastante desgastado. Assim, isso talvez tire o favoritismo dele em uma eventual final…

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Apesar do Português impecável , que comentário heim, parceiro. Típico de Comentarista de resultado ou de Ocasião. Até hoje não sabe que os Grandes se monstram nessas horas ? Quando vencem jogando mal. Quando possuem plano B ,C … Tendo uma série de recursos guardados na manga. Num dia péssimo com seu Back, partiu para a rede. Ferrer cometeu N duplas faltas , pois ELE entrava na quadra atacando seu segundo Serviço. Vinha de 33 Sets consecutivos sem ceder nenhum. Cada jogo e’ um jogo. Se irritou pois não estava sentindo a bolinha. E este é o mesmo que bateu o Espanhol em 3 Finais consecutivas. E Zverev dando um Show no Garoto na Final em sua casa em Halle 2017. Na boa, vamos aguardar. Abs !

      Responder
    3. Renato

      Sei. Federer continua o favorito pra ser número um, pois simplesmente é o melhor nas quadtas duras. Faz três anos que Nadal não vence nada em quadras duras. Cincinnatti casa perfeitamente com o jogo de Federer. Não é a toa que o suíço é epta-campeão no torneio.

      Responder
    4. Rafael

      Além de Federer ter atuado mal, Ferrer tinha um plano bem desenhado e enquanto conseguiu executá-lo, deu muito certo.

      A meu ver, os méritos da partida ter engrossado são mais de Ferrer do que da queda de produção de Roger.

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quando você usa o peso da bola do adversário para gerar energia, algo típico de quem joga no contraataque. Esse tipo de jogador fica menos confortável quando recebe bolas lentas (altas ou baixas) e precisa gerar força para os golpes.

      Responder
  51. Marcelo

    Dalcim,

    Se Federer chegar na final, já encosta no Nadal na corrida, acredito. E para quem não disputou pelo menos uns 4000 pontos na temporada do saibro, é impressionante estar tão bem no ranking, não acha? E para quem acha que o futebol é o esporte das surpresas, me diga quem esperava que naquele quadrante seria o outro canadense a ameaça para Nadal?

    Abraços.

    Responder
  52. Pieter

    Sensacional! Impressionante!
    Ninguém, mas ninguém mesmo poderia prever um resultado desses para o Shapovalov.
    Impressionou-me demais como o jogo do garoto é completo: tem todos os golpes, um forehand exuberante, vai à rede, sabe volear e, o mais impressionante, tem um mental espetacular!
    Quem imaginaria que um adolescente, que sequer é top 100, poderia derrotar o número um da temporada, virtual líder do ranking jogando com tal qualidade diante da sua platéia?
    Nasce um campeão.

    Responder
      1. Pieter

        Sim, mas ele tem apenas 18 anos! É um adolescente ainda.
        Quis dizer que ele sabe volear e não se furta de ir para frente mesmo enfrentando um notável passador como o Nadal.
        É de se esperar que seu jogo como um todo ainda esteja em evolução, inclusive, e principalmente, o seu físico.

        Responder
      2. Julio Calleja

        Poderiamos dizer que todos da nextgen, tirando o Kyrgios, precisam ainda melhorar essa transição pra rede mestre Dalcin?? Aquele matchpoint de 49 trocas, tão exaltado do Zverev contra o Gasquet foi um exemplo disso. Teve vários momentos que o Zverev poderia ter finalizado o ponto na rede, mais por certa insegurança ele recuou pro fundo da quadra…

        Responder
    1. Ricardo - DF

      Dalcim,

      Achei o retorno de saque dele meio problemático tb. Várias vezes errou, mesmo no segundo saque do Nadal que é meia boca. Procede ?

      Responder
  53. Luiz Fernando

    V E X A M E!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Não há como rotular a derrota do Rafa ontem de outra forma, demonstrando q ele não merece ser número 1 de novo. Infelizmente ontem aflorou de novo aquele jogo covarde q foi a tonica de 15-16. Chega q ainda estou p… da vida.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      A coragem do garoto ontem redundou em glória.

      Enquanto que o medo de arriscar do Nadal, lhe rendeu fragorosa derrota.

      Cada um colhe aquilo que planta…

      Responder
  54. Rafael

    O Nadal é o campeão mundial de esbarrar nesses caras que resolvem jogar além do além contra ele. Nunca vi igual, se tem alguém que vai barbarizar vai ser em cima dele. Mas o muleke jogou bem. Parabéns ao garoto.

    Responder
    1. Dario Lemos

      Espero que os futuros jogadores se “espelhem” nos tenistas jovens como Thiem e Shapovalov e que contem com a ajuda de treinadores para quebrar um pouco essa mania em querer ensinar que o backhand tem que ser feito com duas mãos. Chega dessa ditadura maldita.

      Responder
    2. Pieter

      Em minha modesta opinião, sempre o de uma mão será o backhand mais bonito, plástico e sensacional.
      Andava preocupado, pensando que poderia estar ameaçador de extinção mas, agora, com Thiem e Shapovalov, fiquei menos tenso…rs.

      Responder
  55. Rodrigo S. Cruz

    O Nadal é uma das maiores farsas da história do tênis.

    Já está abundantemente demonstrado que à exceção do barro, esse cara é um BUNDA MOLE perante tenistas que o ataquem com eficiência…

    O Shapovalov fez hoje uma das partidas mais emocionantes e de alto nível de 2017.

    Anulou o jogo-siri do Nadal. E o ANTÍDOTO para isso foi a agressividade…

    Sufocou o Nadal com as devoluções. Enquanto o mané insistia em ficar 10 mil metros atrás da base para receber o dele.

    Distribuiu winner pra tudo que foi lado, tanto com a forehand, quanto com o plástico backhand de 1 mão…

    Aguentou muito bem os “rallies” contra o bunda-mole de Mallorca. Porém, ele próprio ia em todas as bolas do Nadal, mesmo as que pareciam perdidas. ( isto também deve ter mexido com a cabeça do oponente).

    Em situações de perigo quedou-se livre, com belos saques e direitas.

    No terceiro set, por exemplo, o jovem salvou um break-point com um SEGUNDO SAQUE aberto. (O Nadal não viu nem a cor da bolinha).

    Além do apuro tático admirável, teve acima de toda prova uma coragem infernal. Indo mesmo para as bolas, sem frescura.

    Acertando ou errando, o canadense ia para as bolas. Coisa que o Djokovic pouco faz. E o Nadal nunca…

    18 bolas vencedoras diante de 49, é uma mixórdia!

    Tenho certeza de que ele saiu de quadra totalmente sem-graça. Eu sairia…

    Responder
    1. Bruno

      Farsa ja e um exagero,Rodrigo.
      No barro e o melhor,fora dele um grande competidor,com algunas limitaçfoes,com dependencia total do fisico,jogando na maioria das vezes nos erros dos adversarios.
      Acho horrivel o seu jogo mas o respeito muito como competodor(se algo um dia for provado).

      Responder
    2. Rafael

      Interessante ler isso. No começo do torneio, o Sharapov foi criticado por ser afobado, querer dar winner em todas as bolas, etc. Agora, em UMA partida que deu certo essa tática suicida contra um monstro sagrado do tênis, é aclamado.

      Cada vez entendo menos de tênis, só pode ser isso.

      Além disso, quando Federer, com mais de 30 anos (pouca experiência no circuito, em decisões, etc,) perdeu 24 break-points contra Djoko na final do US Open – e o título, fazer o quê, né? Agora quando é o Nadal, ferro nele….

      Nadal + Djokovic + Murray = 30 slams. NA MESMA GERAÇÂO.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Rafael,

        Eu não conhecia o Shapovalov. Ontem foi a primeira partida dele que eu vi, e me agradei muito…

        Agora, afobação é normal pra alguém com apenas 18 anos, certo?

        Responder
  56. João ando

    Está provado que o Dutra Silva nao perdeu para qualquer tenista….meus palpites Roger ganha e simona ganha.esses papites movidos pela razão. Na emoção Roger e elina

    Responder
  57. Fernando Brack

    Espetacular desempenho do garoto. Sensacional mesmo. Assim se deve ganhar partidas de tênis: com winners. E ver a cara de troncho do Nadal após uma inesperada derrota não tem preço.

    Responder
  58. O LÓGICO

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK A verdade lógica, do LÓGICO, kkkk, sendo ano pós ano comprovada: RAFAEL MALINHA NADAL, o tenista mais medíocre da história do tênis; aquele
    que ganhou a maioria dos seus títulos, na Laje, jogando de forma defensiva, sem improvisação alguma e apostando no erro do adversário kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Até o L Fanático tá caindo na real kkkkkk Só falta o GURU kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Agora o robozinho pode iniciar seu turismo no Canadá kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Pena que a Vovó Alice vai continuar no ostracismo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  59. Felipe Silva

    Além do já dito uma coisa que achei estranho hoje foi a velocidade da quadra. Não sei se foi impressão minha ou se ao contrário do que geralmente acontece, quando dizem que o clima da tarde acelera o jogo, senti a quadra bem mais rápida a noite. Fiquei com a impressão de que isso pendeu pro lado do canadense e que na condição dos jogos da tarde deixaria o jogo nas mãos do Nadal.

    Responder
  60. Estevão Canal

    Shapovalov tem talento incrível, provável top 10 na próxima temporada sem exageros, iniciou 2016 como N° 1131 da ATP na temporada 2016 ainda com 16 anos, acabou como N° 250, e na próxima semana vai ao top 100, nada mal para um jogador que no início da temporada ainda jogava torneios nível Future.

    Responder
  61. Sérgio Ribeiro

    É óbvio que a minha opinião vai ser a mesma. Quando Rafa Nadal atingiu o mesmo em 2004, batendo aquele que seria o N 1 no mesmo ano, estava de frente para um multi-Campeão. Shapovalov de quebra também tirou Del Potro. E ano passado levando Wimbledon e Semi em Rolanga. E USOPEN em Duplas. Tudo Juniores. E para alegria do Dalcim , Laver , a torcida do Flamengo e etc… Canhoto e com Backhand de uma mão. Rafa Nadal provou do mesmo Veneno. Que tal um Canhoto atrevido para jogá-lo nas placas a 5 metros ? O Saque aberto do Garoto levou o Espanhol a loucura. O Tennis agradece. O Craque Suíço deve ter aberto um sorriso. ” ” Vou me aposentar e Andy , Novak e Nadal ( com Zverev, Thiem , Kyrgios , Shapo e Cia os pentelhando ) vão vir correndo atrás de mim ” kkkkkkkkkkkkk ABS !

    Responder
  62. Luiz Evandro

    Impressionante como o Nadal tem ficado nervoso em jogos que vão para a negra!!! Braço encurtando, foi a mesma coisa contra o Müller em Wimbledon. Preocupante. Em quadras de cimento, ele poupa demais os joelhos, chegando várias vezes atrasado na bola, o que não acontece no saibro.

    Responder
  63. Marcos RJ

    O Chapolin Colorado acuou o Seu Maduro, que mais uma vez se plantou 5 metros atras da linha de base e amarelou, da cor da própria camisa, ao cometer dupla-falta no tie-break. Seu Maduro não contou com a astúcia do Chapolin.
    O Master 1000 canadense já tem dono, e os organizadores já estão trocando o nome do torneio para “Roger’s Cup”.
    Abraços

    Responder
  64. Marcos Marinho

    E o Nadal amplia sua sequência de torneios ruins fora do saibro. E tava difícil uma chave mais fácil que essa, numa quadra lenta, etc. Nadal ja começou a dar sua tradicional fraquejada do segundo semestre? Federer com uma chance incrível de terminar o ano na liderança. Já era o favorito, mas agora ainda mais. Mesmo que não leve o título.

    Responder
  65. Nando

    ÉÉÉÉÉ mestre….bons jogos nessa rodada hein, derrotas surpreendentes…
    Sobre o jogo do Rei, errou mto, mas Ferrer jogou mto bem tbm, eu temi pela derrota, mas aí depois da quebra no 2º set, a coisa melhorou pra ele, backhand mto errático, “das antigas” kkkkkkk, espero q tenha sido só essa aparição. As 2 rodadas iniciais são pra isso mesmo, calibrar os golpes (47 ENF nesse último jogo…) e pra adquirir ritmo.
    Agora é elevar o nível e entrar ligado em tds os jogos q fizer daki pra frente.
    E no jogo do espanhol? Falaram no grupo do whats q o canadense faria no máximo 3 games nesse jogo kkkkkkkkk
    O menino jogou mto, foi corajoso, arrojado, meteu a mão…pecou nos voleios, mas ainda vai evoluir mto. Boas armas ele já tem: Bom saque “de canhoto”, bom back simples, bom forehand, golpes estes q tendem e devem melhorar tbm.
    O espanhol, como sempre, recebendo saque lá junto com os juízes de linha kkkkkkkkkk, e verdade seja dita: ele faz a alegria da garotada, vide Coric e Kyrgios em 2014, e agora Shapovalov.

    Responder
  66. Marcelo Reis

    Olha, realmente o Federer fez um jogo muito abaixo do que sabe e, além de perder a sequência de 32 sets sem derrota, só não perdeu o jogo porque Ferrer também não continuou no ritmo do 1º set. Entendo que ele não jogará dois jogos seguidos no mesmo nível, caso contrário: adeus.

    Já o jogo do Nadal, que coisa! O meninote acertou inúmeras bolas na linha que o salvaram na hora H, fora os winners. E Nadal, apesar de não jogar mal, alternou altos e baixos, muito estranho. Parabéns pro garoto!

    Dalcim, uma coisa curiosa: venho assistindo a todos os grandes torneios desse ano e, a não ser que a memória esteja brincando comigo, nunca vi tantas duplas faltas dos tenistas como nesses 3 primeiros dias em Montreal. Está tosco demais! Seria alguma característica especial das quadras, como vento, ou talvez a bola diferente!? Ou é só acaso mesmo?

    Abraço.

    Responder
  67. Gilvan

    El Shapo deu uma aula de tênis no Nadal.
    O espanhol se manteve acuado durante todo o confronto, torcendo pelos erros do Shapo e jogando balões pro alto como se fosse festa junina.
    A devolução do Nadal esteve péssima e o saque esteve pornografico. Para fechar com chave de ouro, negou fogo nos momentos decisivos, algo que já vem acontecendo há alguns anos com o suposto exemplo de força mental do circuito.
    No fim das contas, não teve chances nem de carrancas nem dos famigerados socos no ar.
    Dalcim, acredita que o Nadal perdeu a chance derradeira de alcançar o número 1? Estou achando que o Federer vai deixar o Nadal comendo poeira daqui para frente.
    Sobre Federer, fez um jogo fraquissimo. Como bem disse o Dalcim, foi salvo pelo seu vasto repertório. Como é bom ver jogadores com um plano A, B, C, D escondidos na manga ao invés de insistir com murros em ponta de faca.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Nervoso, não.

      Medroso mesmo.

      Não vai pra bola.

      Acha que toda vida dá pra ganhar, esperando o erro do outro.

      Passividade e medo dão nisto!

      Nadal e Djokovic são os maiores expoentes desse tipo de tênis bundão.

      Os Poodles-Alpha do circuito…

      Responder
      1. Mario Cesar Rodrigues

        Bruno olha falei o que acreditava o cara o garotão jogou bem Rafa não teve a capacidade de converter seis BP porqueno3 set o cara fechava o olho e pancada continuo achando e falo com coerência Rafa era para ser numero um Mannarino coitado!E outra coisa!sou torcedor cara e vc que não tem ninguém para torcer espere ano que vem !

        Responder
  68. Lucas B.S

    Dalcim, se federer for campeao de Montreal, como fica a briga pelo n,1 em Cincy, ele tera que ganhar novamente Cincy ou apenas precisará ir mais longe que Nadal no torneio? abraço e excelente texto como sempre…

    Responder
      1. Ken

        Em Cincinnati Nadal va perder 90 pontos do ano passado enquanto o Federer não vai perder pontos. Então RF não precisa necessariamente ir mais longe que Nadal neste torneio. Você concorda, Dalcim?
        Um abraço da Suiça.

        Responder
      2. Ulisses Gutierrez

        Dalcim,

        somente corrigindo. Caso Federer seja campeão em Montreal basta chegar na mesma rodada do espanhol, que o suíço será número 1. Pois Rafa tem 90 pontos a descontar de Cinci ano passado.
        Outro fato curioso, e que caso Federer seja campeão e perca na primeira rodada de Cinci (algo pouco provável) e Nadal ganhe somente uma partida, eles ficariam rigorosamente empatados no número 1. Federer somaria 10 pontos pela participação e Rafa 90 pela segunda, mas como desconta 90 do ano passado, empate total na ponta do ranking. Não sei se alguma vez isso aconteceu na história da ATP desde q criou o ranking.
        Dalcim caso isso ocorra qual o primeiro critério de desempate?

        Responder
      3. paulo luis feyh

        Dalcim, se não estou enganado, o Nadal defende 90 pontos semana que vem, então ele teria que ir uma rodada a frente do suiço (em caso de título em Montreal)

        Responder
    1. Willian Oliveira

      Com as zebras que estão acontecendo, acho pouquíssimo provável que alguém supere Federer. E mesmo ele jogando mal em Cincy, só um desastre não o faria o número 1.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *